Publications

Publications 2018

A INVENÇÃO DE UMA PELE – Nuno Ramos em obras Eduardo Jorge de Oliveira

Como fazer uma pele, como inventá-la? Como fazer da pele um procedimento? Essas são perguntas – que são também um convite e uma interpelação – que nos faz Eduardo Jorge. Inventar uma pele, aqui não é ir ao encontro do “novo”, do que promete uma nova vida, uma imunidade – uma pele mais resistente –, a capacidade de nos isolar e “ser outros”. Longe disso: a pele aqui é memória e matéria, espaço de relação, de contato e contágio, de abertura e adesão. A pele, entre matéria e memória: o que acontece entre uma e outra, a infinidade de temporalidades, forças e afetos que ocorrem nas dobras da matéria exposta como pele. Memória e matéria no limite do humano: aí inventar uma pele. Naquele limiar no qual as intervenções de Nuno Ramos nos lançam, o livro de Eduardo Jorge de Oliveira localiza os contornos de nossa sensibilidade e a escala de nossas interrogações. A invenção de uma pele – Nuno Ramos em obras é um texto crítico chave. Coloca com precisão inusitada o campo da ressonância no trabalho de Nuno Ramos, e faz isso não sob o signo de uma “poética”, que sempre tende à unidade da Obra, mas no impulso de um “manual de procedimentos”, de repertório prático de exercícios e de operação sobre as “formas-limite” dos corpos e suas forças, formas irredutíveis às certezas das identidades, do indivíduo e da forma mesma do humano.

Ao mesmo tempo, A invenção de uma pele é também a trama de um território crítico que define novos vocabulários estéticos. Uma crítica também “em obras”, que desmantela tradições disciplinares para mapear conjugações inéditas entre literatura e artes plásticas com suas novas demandas críticas. A resposta de Eduardo a este horizonte não só nos ajuda a ativar os procedimentos estéticos de Nuno Ramos, como também nos impulsa, acima de tudo, a atravessar de modos originais o relevo do presente, tocar as texturas do desconhecido, dar palavras às nossas perguntas – registrar e reconhecer, sob uma nova luz, as peles que nos habitam, as passagens que nelas se abrem, as linhas que são aquelas da nossa existência exposta.

Gabriel Giorgi

Mais information aqui

LIST OF PUBLICATIONS

“Fiction de l’animalité en Amérique Latine”. Revue Art Press 2. Mai Juin Juillet 2018. N. 48. Paris, Art Press.

PDF (PDF, 665 KB)

 

“L’exposition comme un espace de pensée”. Revue Europe – Dossier Georges Didi-Huberman. N. 1069 Mai 2018.  p. 146-152.

 

“Towards a phanerology of images. Karl Blossfeld and the skin of the world”. Andermann, Jens ; Blackmore, Lisa ; Morell, Dayron Carrilo (Dir) Natura : Environmental Aesthetics After Landscape.  USA : Chicago University Press, 2018. p. 111-133.

 http://press.uchicago.edu/ucp/books/book/distributed/N/bo28415660.html

PDF (PDF, 5031 KB)

 

“Da Máquina do Mundo à Máquina Zero : Carlos Drummond de Andrade, Haroldo de Campos, Ricardo Aleixo” Ribeiro, Gustavo Silveira ; Pinheiro, Tiago ; Veras, Eduardo (Dir.) Poesia contemporânea : reconfigurações do sensível. Belo Horizonte : Quixote, 2018, p. 187-204. 

PDF (PDF, 1949 KB)

 

A invenção de uma pele : Nuno Ramos em obras. São Paulo : Iluminuras, 2018, (Book, 144 p).

http://www.iluminuras.com.br/v2/detalhes_livros.asp?cod=5947&txtBusca=Artes+Plásticas%2FComunicação%2FEstética%2FSemiótica&autor=Eduardo+Jorge+de+Oliveira&tema_cor=30a4dc&t_f=30a4dc

 

“Jean Fautrier et Georges Bataille. Le contact érotique de la matière” Jean Fautrier. Matière et Lumière. Paris: Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris, 2018. p. 216-229.

 

“Dias no chão. Lucas Dupin e os despojos do tempo » « Days on the ground. Lucas Dupin and the debris of time”. Tempo-revés – Catálogo/Catalogue – São Paulo : Funarte, 2017, p.1-47 ISBN 978-85-922894-0-9

Abstract: Text about the structures of time in Lucas Dupin’s intallation Tempo-Revés (Time-reverse), in his exhibition in the Mario Schenberg Gallery in São Paulo. From 26 March until 8 Mai 2017. 

 

“Pays d’encre, lignes des mots: L’Ecuador d’Estefanía Peñafiel Loaiza”/ “Land of ink, lines and words: The Ecuador of Estefanía Peñafiel Loaiza.” Bresson: Les Deux-Points, 2017. p.9-38 ISBN: 978-2-9556237-3-2.

 

“Jean Fautrier und Georges Bataille. Die erotische Berührung der Materie.”/ “Jean Fautrier et Georges Bataille. Le contact érotique de la matière.” Jean Fautrier. Catalogue. Richter Verlag/Kunstmuseum Winterthur, 2017. p. 188-202. ISBN: 978-3941263758.

 

“Vender alguma coisa, dar certo na vida”. A passagem do objeto ao poema na obra de Marcel Broodthaers. Remate de Males. Campinas- SP, (37.1): pp. 261-284, Jan./Jun 2017. ISSN 2316-5758. https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8648454

Abstract: This paper presents an analysis of some of the works of the Belgian artist Marcel Broodthaers, more precisely his relationship with words and images in the context of the development of literary practices in his own exhibitions. Thanks to his poetic approach, Broodthaers has become an essential name when considering the materialism of literature in post-1950’s museums.

 

“A pulsão bioescritural como método: as Galáxias de Haroldo de Campos” in Ana Chiara, André Masseno, Daniele Ribeiro Fortuna and Marcelo dos Santos (eds.,), Bioescritas/Biopoéticas: Corpo, memória e arquivos. Porto Alegre: editora Sulina, 2017, p. 43-61. ISBN: 978-85-205-0783-4

Abstract: Text about the book Galáxias (1963-1983) by Haroldo de Campos, his method of writing and his relationship with European and Brazilian avant-gardists. 

 

“Las indefiniciones de la animalidad. Formas comunes de la crítica y de la biopolítica. Revista Badebec, Centro de Estudios de Teoría y Crítica Literaria. v. 8, p.447-454. Rosario, Argentina, 2014.

 

“Absolutamente toda a terra” (Preface of the Portuguese Poet Ruy Belo). Ruy Belo. Toda a Terra. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2014, p. 7-11. ISBN 1410-695

 

“Uma moeda impossível, um corpo inesgotável: a economia sadeana no século XX entre Georges Bataille e Pierre Klossowski. Cadernos de Ética e Filosofia Política. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – FFLCH – Universidade de São Paulo – USP, 2015, p. 52-63.

http://www.revistas.usp.br/cefp/article/viewFile/109050/107555

 

“Por uma fanerologia das imagens III: o mapa, a terra e a migração das imagens”. Boletim de Pesquisa Nelic, Florianópolis, v. 15, n. 23, p. 4-17, 2015.

 

“Por uma fanerologia das imagens: Adolf Portmann e as formas animais” Devires, Belo Horizonte, V. 11, N.2, Julho-Dezembro, 2014, p. 194-209. (http://www.fafich.ufmg.br/devires/index.php/Devires/article/view/118/0)

 

“Aparências e modos de vida: topografias do vivente na poesia e nas artes visuais. E-misférica. The Hemispheric Institute of Performance and Politics. University of New York (NYU), v. 10, 2013.

http://hemisphericinstitute.org/hemi/en/e-misferica-101/jorge

 

“Uma paisagem, um acontecimento, um poema: a poeira como uma forma de pensar o mundo”. Revista Devires. Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, 2012, p. 118-131.

Abstract: If we can affirm with Georges Didi-Huberman that “the dust allows us to think the world”, the Alain Resnais’ movie Nuit et Brouillard, the Bertolt Brecht’s poems, and the Georges Bataille’s entry “Dust” work on question that alter one ethos at the field of images. 

 

O corpo amorfo das coisas segundo Nuno Ramos. A multiplicidade das linguagens híbridas na ficção de Nuno Ramos. Dir. Deneval Siqueira de Azevedo Filho. São Paulo: Arte/Ciência, 2012. p. 107-118. ISBN: 978-85-61165-92-5.

 

“Lobisomem, sem ameaças”. Maciel, Maria Esther (Dir.) Pensar/escrever o animal. Ensaios de zoopoética e biopolítica. Florianópolis: Editora UFSC, 2011, p. 177-195. ISBN: 978-85-328-0543-0.

Abstract: Text about the metamorphosis on Jorge Luis Borges’s zoologies narratives.  

 

“Povos expostos, povos figurantes”. Alea: Estudos Neolatinos, v. 15/2, Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. 2012, p. 449-454. Print Version: ISSN 1517-106X.

 

“O laboratório da vida: uma economia do corpo a partir de Georges Bataille. Gustavo Silveira Ribeiro; Eduardo Horta Nassif Veras (Dir.) Por uma literatura pensante. Ensaios de Filosofia e Literatura. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012, p. 163-174.  

 

“Histórias de Fantasmas para Adultos: as imagens segundo Georges Didi-Huberman. Artefilosofia. Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP, v. 12, p. 117-139, 2012.   

 

Animots: um exercício de leitura dos animais” Em Tese. V. 14. Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. Belo Horizonte, 2010, p. 123-134.

 

“A besta, o soberano” (Jacques Derrida). Em Tese. V. 16. N. 3 Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, 2010. http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/emtese/article/view/3520/3468

 

Elisa Rodrigues. Alguns bestiários na literatura brasileira contemporânea. Revista Crioula. Universidade de São Paulo – USP, vol. 7, p. 1-13, 2010.

Abstract: This paper proposes a reading of the contemporary Brazilian literary authors, that go into the imaginary universe of the bestiaries in order to compose a sort of zoo-literature, by using as a starting point the Latin-American bestiaries of authors like Jorge Luis Borges and Julio Cortázar. 

https://www.revistas.usp.br/crioula/article/view/55239/58868

 

“Uma zoologia de Jorge Luis Borges”. Revista de Humanidades. Universidade de Fortaleza. Vol. 24, N. 1. Janeiro/Junho 2009. ISSN: 1414-042-X, p. 182-192. 

Abstract: This paper approaches the relationship of the Argentinian writer Jorge Luis Borges with the tradition of the medieval Europeans bestiaries and the aesthetic and political implications of this matter regarding Latin America.  

 

“Documentos de desfiguração do homem”. Revista Exagium, v. 3. Programa de Pós-Graduação em Estética e Filosofia da Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP, 2010, p. 1-8.  

 

“La comunión imposible: sobre Comunión I, 2006, de Rodrigo Braga.” Interartive: a platform for contemporary art and thought. Barcelona: Interartive, 2010: https://interartive.org/2010/11/rodrigo-braga (ISSN: 2013-679X)

 

“El cuerpo pende en imagen. Sobre Vertigem (Vértigo), de Milena Travassos.” Interartive: a platform for contemporary art and thought. Barcelona: Interartive, 2010: https://interartive.org/2010/10/vertigem-travassos (ISSN: 2013-679X)

 

“Cuando la imagen encuentra una salida de aire.” Interartive: a platform for contemporary art and thought. Barcelona: Interartive, 2010: https://interartive.org/2010/07/expiracion (ISSN: 2013-679X) 

 

“Notas para una arqueología de la sirena: la Ondina de Walmor Corrêa. Interartive: a platform for contemporary art and thought. Barcelona: Interartive, 2010: https://interartive.org/2010/12/notas-walmor-correa

 

“Sobre as naus de Rabelais. Pequenas viagens em torno de Gargantua e Pantagruel”. Palimpsesto. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras. Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), 2010.   http://www.pgletras.uerj.br/palimpsesto/num7/dossie/dossie_Eduardo Jorge de Oliveira.html

 

“Borges, Cortázar e os bestiários latino-americanos.” LL Journal, The Journal of Students of Ph.D Program in Latin American, Iberian and Latino Cultures. v. 4. 2009. https://lljournal.commons.gc.cuny.edu/borges-cortazar/

Abstract: Este trabajo propone la lectura de dos libros, El libro de los seres imaginarios, de Jorge Luis Borges con Margarita Guerrero y Bestiario de Julio Cortázar. Cada uno sigue su propio camino, si bien su punto de partida es la noción medieval de lo que es un bestiario. Además de ser libros de referencia de lo que podríamos llamar “bestiarios de autores”, Borges y Cortázar elaboraron piezas en las cuales la clasificación y los juegos acerca de la ficción están íntimamente conectados con lo que podría considerarse una clasificación de zoológico de catálogo. Uno enciclopédicamente, el otro, vertiginosamente.

 

“Um zoológico distante, invisível (sobre a zoologia de Wilson Bueno). In: Eduardo Jorge de Oliveira (Dir.). Areia, animal, arquivo, alchachofra. Ensaios sobre Literatura. Belo Horizonte: Tradição Planalto, 2009, p. 7-20.

 

“O verbete, o dicionário e o documento.” Notas para uma leitura da montagem em Georges Bataille. Poiésis. Universidade Federal Fluminense – UFF. Niterói, v. 1, 2009, p. 145-158. 

 

“Minha boca é um túmulo: representações da morte na literatura e na fotografia. Júlia Studart (Dir.). Conversa, Diferença. Ensaios de literatura. Florianópolis: Editora da Casa, 2009, p. 95-112.  

 

“Aproximações da pobreza. O sentido da pesquisa estética hoje, entre a trama do mercado, da tecnologia e da mídia”. Zunái. Revista de Poesia & Debates (2007).  (http://www.revistazunai.com/ensaios/eduardo_jorge_midia_pobreza.htm) ISSN 1983-2621

ARTICLES ABOUT LITERATURE IN BRAZILIAN NEWSPAPERS

“Poesia em tempos de crise”. Suplemento Literário de Minas Gerais - SLMG. 20 de Junho 2011. Belo Horizonte, p. 8-9.

 

“O dispositivo Walser” (Sobre Robert Walser). Estado de Minas Gerais. Caderno Pensar, 7 de maio de 2011, p. 1.

 

“Macedonio, esse ilustre desconhecido” (Sobre o escritor argentino Macedonio Fernandez). Anuário do Ceará, Vida & Arte, 6 de abril de 2011, p. 4.

 

“Bonecos Trocados” (Sobre Nuno Ramos). Estado de Minas, Caderno Pensar, 18 de dezembro 2010, p. 4.

 

“Os bastidores do surrealismo” Diário do Nordeste. Fortaleza, Cultura, 5 de dezembro de 2010, p. 1-4.

 

“Wilson Bueno, Jorge Luis Borges: o tigre.” Suplemento Literário de Minas Gerais – SLMG, 10 de outubro de 2010, p. 32-35.

 

“O poema, talvez uma carta” (sobre o poeta Jean-Pierre Lemaire). Estado de Minas. Caderno Pensar, 25 de setembro de 2010, p. 2.

 

“Rigor e delirio” (sobre Maria Esther Maciel). Estado de Minas. Caderno Pensar, 7 de agosto de 2010, p. 5.

 

“Ler, reler Mallarmé”. Estado de Minas. Caderno Pensar, 27 de março de 2010, p. 5.

 

“Por que ler Beatriz (Bracher)”. Estado de Minas. Caderno Pensar, 27 de março de 2010, p. 2.

 

“Ouvido apurado (sobre Carlito Azevedo). Estado de Minas. Caderno Pensar, 6 de março de 2010, p. 4.

 

“O poema como aventura etnográfica” (Sobre Michel Leiris). Estado de Minas. Caderno Pensar, 7 de novembro de 2009, p. 3.

 

“O diario de um homem”. (Sobre Michel Leiris). Estado de Minas. Caderno Pensar, 28 de março de 2009.

 

Eduardo Jorge de Oliveira, Manoel Ricardo de Lima. “Quando o tempo é zero” (sobre o poeta argentino Arturo Carrera). Diário Catarinense, Florianópolis, 21 de março de 2009, p. 4.

 

“Diário, Livro e Abandono” (sobre Yuri Firmeza). Estado de Minas. Caderno Pensar, 21 de fevereiro de 2009, p. 5.

“Pensamento em trânsito” (Sobre Maria Esther Maciel e Eduardo Sterzi). Estado de Minas. Caderno Pensar, 6 de outubro de 2008.

 

Forthcoming

Forthcoming: “No estoy aqui para representar a Brasil. Arte, política y representación. Boletín n. 19. Centro de Estudios de Teoría y Crítica Literaria. Argentine. October 2018.

Forthcoming: “Défaire l’éloge: Bataille, Blanchot, Klossowski at la question de la dette. Milon, Alain (Dir.). Bataille-Blanchot-Klossowski: la question de l’expérience-limite. Paris: Presses Universitaires Paris Nanterre, 2018 (June 2018).

 

Forthcoming: “Fictions de l’animalité I. L’invention d’une peau chez Nuno Ramos.” Histoire de l’Art n. 81. 2017/2. Dossier Animaux dans l’Art. Louvre, Université Paris I (Jully 2018).

 

Forthcoming: Eduardo Jorge de Oliveira, Elias Jabre. “Máquinas celibatárias e máquinas desejantes: De Michel Carrouges a Gilles Deleuze e Félix Guattari.” (Postscript of the Brazilian Translation Les Machines Célibataires). São Paulo/ Belo Horizonte: N-1, Relicário, 2018 (September 2018).

 

Forthcoming: “Vidas de Laure”. O triste privilégio ou uma vida de conto de fadas. São Paulo: Iluminuras, 2018. p. 7-14. (Presentation of the Collete Peignot’s book).

 

Forthcoming: “Sade: moeda impossível, corpo inesgotável”. Justine ou os tormentos da virtude. São Paulo: Iluminuras, 2018. (Presentation of the Maquis de Sade’s book).

 

Forthcoming: “Como Construir Catedrais. Cildo Meireles: Uma Geografia Sensível do Brasil”. Journal of Latin American Cultural Studies, New York, 2018.

 

Forthcoming: “The truth of the matter. The cathedral of Solange Pessoa.” Bacon, Alex (Dir.). Solange Pessoa. Mendes Wood: New York, 2018 (November, 2018) 

 

Forthcoming: “Hagoromo and Heliotape: Haroldo de Campos and Helio Oiticica at Chelsea Hotel.” Valle, Luisa; Bessa, Sergio (Dir.) Form and Feeling: the making of concretism. Bronx Museum/ University of City of New York (CUNY), 2019. 

 

Forthcoming:  “Maquina do Mundo. Máquina Zero. Carlos Drummond de Andrade, Haroldo de Campos, Ricardo Aleixo e uma vitalidade maquínica na poesia brasileira. Belo Horizonte: Ed. Máquina do Mundo, 2018 (Book).

 

TRANSLATION (FRENCH AND SPANISH TO PORTUGUESE)

 

FR-PT Philippe Lacoue-Labarthe. Musica Ficta - Figuras de Wagner (Musica Ficta - Figures de Wagner - with Marcelo Jacques de Moraes). Belo Horizonte : Relicário Edições, 2016, 260 p.

 

FR-PT Muriel Pic. As desordens da biblioteca (Les désordres de la bibliothèque). Belo Horizonte: Relicário Ediçõesn 2016. (Translation and afterword), 90 p.

 

FR-PT Emmanuelle Houdart. Monstros Doentes (Les monstres malades). São Paulo : SM, 2014. 45 p.  

 

Forthcoming : (FR-PT ) Michel Carrouges. Les machines célibataires (As máquinas celibatárias). São Paulo/Belo Horizonte : N-1, Relicário, 2018. 

 

Forthcoming : (FR-PT ) Marquis de Sade. Justine ou les malheurs de la vertu. (Justine ou os tormentos da virtude – with Marcela Vieira). São Paulo: Iluminuras, 2018. 

 

 

Chapters of books

 

(SP-PT) Andermann, Jens. « Pulsão animal : zooliteratura e transculturação em W.H. Hudson ». Maciel, Maria Esther. Pensar/escrever o animal. Florianópolis : Ed. Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, p. 255-272.

 

(SP-PT) Fermín A. Rodríguez. « Levar a vida, deixar-se morrer : A virada animal em « El Sur » de Jorge Luis Borges. Maciel, Maria Esther. Pensar/escrever o animal. Florianópolis : Ed. Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, p. 169-175. 

 

(FR-PT) Antonin Artaud (correspondance with Jacques Rivière - NRF (1905-1914).

Gratuita Magazine. Lisbon, Chão de Feira, 2012, p. 158-181.

http://chaodafeira.com/wp-content/uploads/2015/05/gratuita-01.pdf

 

 

Articles and essays

 

Georges Bataille (The “Critical Dictionary” of Documents Magazine). Suplemento Literário de Minas Gerais - SLMG, n. 1319, 2009. http://www.bibliotecapublica.mg.gov.br/index.php/pt-br/suplemento-litelario/edicoes-suplemento-literarios/2009-1/80--80/file

 

Bertrand Prévost. “As aparências não-endereçadas: usos de Portmann (Dúvidas sobre o espectador). Devires. Belo Horizonte, V. 11, N. 2. p. 210-229, Jul./Dez 2014. 

 

POETRY BOOKS

Como se fosse a casa (uma correspondência, com Ana Martins Marques) (Belo Horizonte, Relicário, 2017, 48 p. ISBN : 978-85-66786-57-6). Bravo Award the Best Book Published in Brazil in 2017. 

Durante um mês, a poeta Ana Martins Marques alugou o apartamento do amigo e também poeta Eduardo Jorge, que viajara para a França. O imóvel fica na região centro-sul de Belo Horizonte, no edifício JK, projetado por Oscar Niemeyer em 1952. Enquanto viveu ali, a inquilina trocou e-mails com o locador. As mensagens, de início, abordavam questões meramente práticas. Mas, depois, se converteram em uma troca de poemas sobre o permanecer e o partir, o morar e o exilar-se, o familiar e o estranho.   

Um dos méritos do livro está no fato de que ambos os poetas, apesar de escreverem a partir das provocações e evocações poéticas apresentadas pelo outro, não estabeleceram uma relação simbiótica, de perda da identidade em direção a uma linguagem comum e a uma síntese estilística. Ao contrário, a singularidade de cada um foi plenamente mantida, percepção confirmada pelo poeta Ricardo Aleixo, autor do texto de orelha da obra: “Ana e Eduardo conseguiram a proeza de compor uma obra que não apaga nem relativiza as diferenças estilísticas entre ela (sua rara aptidão para o manejo da camada fônica da palavra, com especial destaque para a composição de frases de diferentes extensões) e ele (a imageria algo desorbitada e o gosto pelas ousadas torções sintáticas)”.

Entre janelas, corredores, cigarros, xícaras de chá e regras de condomínio, os poetas levantam sua morada (e também sua partida) com seu material de construção mais íntimo (e por que não, mais estranho): suas palavras.

Mais information aqui

A casa elástica (minisséries) (São Paulo, Lumme Editor, 2015 - 100 p. ISBN:978-85-8234-135-3)

Caderno do estudante de luz (São Paulo, Lumme Editor, 2008 -30 p. ISBN: 2000023975772).

Espaçaria (São Paulo, Lumme Editor, 2007 - 42p. ISBN: 2000023286861)