Andre Masseno

Dr. Andre Masseno

Postdoc em literatura brasileira

andre.masseno@rom.uzh.ch

Webseite

Tese de doutorado: A trama tropical: visões dos trópicos na (contra)cultura brasileira

A tese pretende analisar a configuração da noção de trópicos em determinadas produções textuais e visuais brasileiras do final do século XIX e do período de virada entre as décadas de 60 e 70 do século subsequente, abarcando tanto os discursos oficiais como as contra-narrativas produzidas por escritores, artistas e intelectuais das respectivas épocas.

O recorte proposto de aproximação entre o período final do século XIX brasileiro, com a dissolução progressiva do sistema monárquico em direção ao regime republicano, e os anos 60/70, marcado pela insurgência da manifestação contracultural em face da ditadura que assolava o país, se deve à tentativa de assinalar criticamente certos traços dos debates intelectual e artístico presentes em ambos os contextos históricos, elucidando o uso da noção de tropical (que abrange aspectos como a defesa da natureza local como elemento distintivo do espaço geográfico e da história da formação cultural) seja em prol de um entendimento crítico do contexto circundante ou então como elemento demarcador de certo traço identitário, e por vezes de fundo nacionalista, do país.

A tese centra-se na hipótese de que, no percurso histórico da literatura e cultura brasileiras, existem particularidades na evocação recorrente da intelectualidade local ao elemento tropical e que ocasionam uma trama discursiva e aglutinadora de jogos de espelhamento com as nações vizinhas, buscando demarcar uma posição cultural, política e economicamente distintiva do Brasil perante as outras nações. Seja no discurso oficial ou na contraparte artística, o elemento tropical estaria sendo posto em circulação para diversos fins, especialmente a serviço da afirmação – às vezes ambígua e oscilante –  de certa contribuição brasileira no contexto das nações ocidentais consideradas de maior prestígio cultural, no caso as europeias, e diante do poderio industrial, político e econômico de nações como os Estados Unidos, que tornar-se-iam uma questão recorrente tanto no período oitocentista como nas décadas de 60 e 70 do século XX.